quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Adeus Bolinhas

Foto tirada em Maio de 2002


Ontem morreu o meu primeiro cão - o Bolinhas. Já há muitos meses que se anda para tomar esta decisão mas, pelos vistos, ontem a decisão foi tomada de vez.

O Bolinhas nasceu a 25 de Outubro de 1990. Sim em 1990, já tinha 18 anos. Já há vários anos que a visão e a audição têm vindo a deteriorar-se. Nos dois últimos anos penso que já não via nem ouvia quase nada.

Foi um cão daqueles a que chamo 'de guerra'. Daqueles de quintal (os meus pais não são apologistas de cães em casa) que exceptuando há dois anos uma infecção no ouvido interno, nunca teve doenças. Já pouco andava, custava a levantar-se e deitar-se e por vezes fazia já as necessidades na casota. Ora ia melhorando, ora piorando. Nos últimos dias fazia xixi deitado e ontem os meus pais e avós tomaram a decisão. Os meus pais já me conhecem... fui informada hoje...

Sei que foi pelo melhor porque já metia dó olhar para ele. Custa-me saber que a vida lhe foi tirada mas, por outro lado, sei que foi uma caridade o que foi feito. Custa-me não saber se sofria, o quanto sofria, se antecipámos o acto, se já devia ter sido feito à mais tempo... não sei...

Ainda me lembro da primeira vez que o vi, dentro duma caixa no banco de trás do carro do meu pai, tão pequenino parecia uma bolinha malhada. Lembro-me de, com 10 anos, me levantar muito cedo para ir ter com o meu novo cachorrinho. Sempre fui eu que lhe dei o tratamento que os ditos 'cães modernos' normalmente têm. Dava-lhe os banhos na banheira (mesmo desde que saí de casa dos meus pais, era eu que o fazia), cortava-lhe as unhas quando era preciso, dava-lhe miminhos... Fui eu que há muitos muitos anos atrás lutei para que ele não ficasse preso à corrente (como era hábito fazer-se aos cães... digamos... de guarda).

Nos últimos anos tornou-se um cão fantasma. Nada interactivo, muito parado como se por vezes não reconhecesse as pessoas ou mesmo os objectos. Só ganhava mais vida quando era para ir à rua. Acho que foi o melhor a fazer... mas custa muito...

Fui informada hoje... Adeus Bolinhas...

6 comentários:

Van Dog disse...

Adeus, Bolinhas.

Pipa disse...

18 anos... :(
Pensa que foi pleo melhor. Que foi acarinhado, bem tratado e amado. Não valia a pena estar a sofrer mais, verdade? Mas eu sei que custa muito, sim. Não há amizade tão pura, dedicada e desinteressada como a de um cão.

Adeus, Bolinhas.

Zhyph disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Zhyph disse...

Sinto muito pelo seu cãozinho...
Nunca passei por tal situação mas sei que deve custar e muito.

Agora, como visão de amiga e veterinária... A eutanasia não lhes custa absolutamente nada, demora por volta de 3 segundos entre a injecção e a paragem cardíaca e respiratória (vulgo falecimento do animal). Eles não sentem nada, pois é uma anestesia que é demasiado aprofundada, eles simplesmente dormem. Na semana passada um dono fez questão de estar com o seu cão no momento e ficou bastante impressionado, pois parecia que o cão tinha adormecido.

Quanto a se foi a melhor decisão ou não, acredito que sim, ele já estava muito velhinho e embora isso não seja nunca razão para eutanasiar um animal, ele tinha outras grandes razões, já tinha incontinência, vinha a perder a visão e audição e principalmente, essa sim é uma boa razão, já não tinha qualidade de vida.

Eu sei que é complicado, mas um cão com 18 anos é, como vc mesmo falou, um resistente! São muito poucos os que chegam lá tão bem e tão sem problemas como o bolinhas. E é nestes momentos bons que temos de nos lembrar! Teve uma vida cheia e com certeza feliz, lembra-te disso nos momentos mais tristes :)

Beijos grandes

carol disse...

Ohhhhh, fiquei com pena...:(
O Bolinhas era o meu "inimigo" favorito: :(
Mas não fiques triste, o animal já não tinha qualidade de vida.
Adeus Bolinhas, meu sacana.
***

Kunta disse...

Adeus Bolinhas...